fechar

Como acompanhar o processo do DPVAT 2019
5 (100%) 4 votes

Veja como acompanhar o processo do DPVAT 2019

As vítimas de acidentes de trânsito possuem um seguro garantido em casos de morte, invalidez permanente ou despesas médicas. Conhecido como DPVAT, Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, ele é pago obrigatoriamente por todos os proprietários de veículos automotores no ato do Licenciamento/IPVA. Veja como acompanhar o processo do DPVAT 2018 e ter o seu direito garantido, caso seja necessário.

Após dar entrada no Seguro DPVAT, o segurado poderá acompanhar o processo através do link da Seguradora Líder, responsável pela administração e pagamento das indenizações. Para isso, basta possuir o número do sinistro, CPF do(s) beneficiário(s) ou representante legal. Os valores são pagos em conta corrente em 30 dias após a efetivação do pedido e variam de até R$ 2.700,00 (Para despesas médias) a R$13.500,00 (Morte ou invalidez)

Para dar entrada você deve procurar um Posto de Atendimento e fazer a solicitação pessoalmente, sem a necessidade de um intermediário. Você pode pesquisar uma seguradora autorizada de Posto de Atendimento através do link.

Veja como acompanhar o processo do DPVAT 2019

Documentos necessários para solicitar o DPVAT 2019

Em casos de indenização para DESPESAS MÉDICAS:


  • Boletim ou Registro de Ocorrência Policial;
  • RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento)
  • CPF da vítima
  • Comprovante de residência
  • Boletim do primeiro atendimento médico-hospitalar ou relatório do médico informando quais as lesões sofridas pela vítima e o tratamento realizado
  • Relatório do dentista (se for o caso) informando as lesões sofridas pela vítima, se o tratamento foi realizado em decorrência das lesões sofridas no acidente, bem como se os dentes eram naturais antes do acidente

Em casos de indenização por MORTE:

Nos casos de morte, além da documentação da vítima, serão necessários também a documentação de cônjuges, beneficiários, descendentes, ascendentes e outros, dependendo da situação de cada caso. Mas a documentação da vítima segue abaixo:

  • Boletim ou Registro de Ocorrência Policial;
  • Certidão de Óbito (cópia autenticada)
  • Laudo de Exame emitido pelo IML – cópia autenticada – (poderá ser solicitado)
  • RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento)
  • CPF da vítima

Em casos de indenização por INVALIDEZ PERMANENTE:

  • Boletim ou Registro de Ocorrência Policial;
  • RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento) – cópia simples
  • CPF da vítima – cópia simples
  • ​Laudo do Instituto Médico Legal – IML da localidade em que ocorreu o acidente, informando a exte​​nsão das lesões físicas ou psíquicas da vítima e, ainda, o seu estado de invalidez permanente – original ou cópia autenticada
  • Declaração de Ausência​​ de Laudo do IML
  • Boletim de atendimento hospitalar ou ambulatorial (BAM)​.
  • ​​​​Em caso de dúvida quanto às lesões terem sido provocadas pelo acidente, poderá ser solicitado o Relatório de Internamento Hospitalar ou do tratamento a que se submeteu a vítima, com indicação das lesões produzidas pelo trauma.
  • ​​​ Comprovante de residência
  • ​​​ ​Autorização de pagamento

Atenção ao golpe do DPVAT 2019

É muito importante ter o conhecimento de como funciona o DPVAT, assim você evita cair em golpes como o que circula pelo WhatsApp. Somente a vítima ou representante legal pode dar entrada no seguro, e todo serviço é inteiramente gratuito, não sendo necessário a intervenção de uma outra pessoa na solicitação. A indenização é liberada em 30 dias após a efetivação da solicitação e é feito somente nos Postos de Atendimento da Seguradora Líder.


Tags : DPVATSeguro DPVAT

6

Deixe seu Comentário

avatar
6 Comentar tópicos
0 Respostas do tópico
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Tópico de comentário mais quente
6 Autores de comentários
Renato Ferreira AlencarRosangela Rodrigues Da SilvaLuis carlos afonsoFelipeJackson Autores recentes de comentários
mais novo mais velho mais votados
Renato Ferreira Alencar
Visitante
Renato Ferreira Alencar

Boa noite sofri um acidente de trânsito,fui atropelado por carro e o motorista estava bêbado,eu estava de moto,o capacete saiu da cabeça e caí com a cabeça no asfalto,tive uma fratura que mim deixou com várias cequelas grave,a quase 3 anos eu não consigo mais ouvir,nem sentir cheiro dos alimentos,não sentir gosto,fiquei com fortes tonturas”labinritite”,e até hoje estou assim,dei entrada no seguro dpvat por uma agência,foi bem rápido pro dinheiro cai,3 dias depois que eu fiz a perícia o dinheiro caiu,mais eu fiquei com uma dúvida,o valor deu 5 mil reias,e ainda tive que tirar 30% pra agência,a minha dúvida,eu… Leia mais »

Rosangela Rodrigues Da Silva
Visitante
Rosangela Rodrigues Da Silva

Olá me Chamo Rosangela sofri um emcapotamento de carro tem 5 mês. Tava como passageira quebrei a clavícula n tive condições de fazer cirugia. Quebrei o braço fisso cirurgia depois de 45 dias depois. Sofro muito p arrumar emprego n tenho força no braço. Será q eu consigo algo. Tive uma adivigada aq mais ela diz q meu pedido foi negado será q eu N tenho direito mesmo

Luis carlos afonso
Visitante
Luis carlos afonso

Passando pela rua que moro o asfalto abriu é meu carro caiu dentro da cratera que havia sido concertada a alguns dias atrás pela Sabesp em obra de reparo de vazamento de água trabalho devidamente feito e tapado o buraco . O qual se abriu e danificou meu veículo em vários locais impossibilitado o mesmo foi arrastado até minha garagem . Eu por vez do acidente bati a cabeça no parabrisa e cortei bastante a minha cabeça sendo preciso levar alguns pontos etc . A quem devo pedir indenização ? A Sabesp por mal prestação de serviços ou ao DPVAT… Leia mais »

Felipe
Visitante
Felipe

Quando uma pessoa morre de acidente de moto,bateu em um animal,Essa pessoa recebe idenizaçao?a moto tem que estar em dias?

Jackson
Visitante
Jackson

Em 1979, eu Jackson, sofri um atropelamento, no qual, o veículo me levantou, caindo após sobre o capô e fui arrastado por um ‘opala'(ouvi dizer), na idade de 9 anos, rolei várias vezes sob o automóvel, já sem consciência, semi morto, lançado a margem da rua padre Rose, próximo ao Largo do Bicão. Não tenho a placa do veículo, será que tenho direito ao DPVAT?

Ricardo Elias dos Santos
Visitante
Ricardo Elias dos Santos

Sofri um acidente a 4 meses e não dei entrada no seguro por falta de conhecimento e pq fiquei de cama tive o braço quebrado em dois lugares uma perca na cabeça do femor arranquei a patela devido a gravidade da cirurgia meu medico me informou que sou parcialmente deficiênte por ter arrancado a patela. Tenho direito de receber por invalidez o seguro DPVAT?