fechar

Como recorrer de multas de trânsito no Estado do Rio Grande do Sul

O recurso de multas de trânsito é o procedimento por meio do qual o proprietário do veículo e/ou condutor pode contestar determinada infração de trânsito em um órgão colegiado. Quando aplicada a penalidade de multa, com a Notificação de Imposição de Penalidade (NIP), determina-se o prazo para recurso em primeira instância no órgão responsável pelo auto de infração. O órgão enviará à respectiva Junta Administrativa de Recursos de Infração (JARI). A JARI é responsável pelo encaminhamento do resultado do julgamento ao requerente. Quando o resultado do recurso não é favorável ao requerente, o interessado poderá apresentar outro recurso em segunda instância administrativa. Este recurso será dirigido ao Conselho Estadual de Transito (CETRAN) para as infrações de competência do Detran, Daer e Prefeituras Municipais ou para o Colegiado da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para as infrações de competência da 9.ª Superintendência Regional da PRF.

Pré-Requisitos

O recurso de multa deve ser encaminhado no prazo apontado na Notificação de Imposição da Penalidade (NIP) para primeira instância. Para recurso de segunda instância, o mesmo deverá ser encaminhado no prazo de trinta dias contados do recebimento da Notificação do Julgamento da Junta Administrativa de Recursos de Infração.

Documentos Necessários

Junta Administrativa de Recursos de Infração (Detran, Daer e Prefeituras Municipais) – primeira instância:

  • Requerimento com as razões do recurso;
  • Cópia da Notificação de Imposição da Penalidade (NIP);
  • Cópia do documento de identificação contendo assinatura do requerente.


Polícia Rodoviária Federal – primeira inst
ância:

  • Requerimento com as razões do recurso;
  • Cópia da Notificação de Imposição da Penalidade (NIP);
  • Cópia do documento de identificação contendo assinatura do requerente;
  • Cópia do documento do veículo;
  • Cópia da Carteira Nacional de Habilitação ou Permissão;
  • Empresas devem apresentar cópia do contrato social com última alteração.


Conselho Estadual de Trânsito (Detran, Daer e Prefeituras Municipais) – segunda instância
:

  • Requerimento com as razões do recurso;
  • Cópia da Notificação de Imposição da Penalidade (NIP);
  • Cópia do documento de identificação contendo assinatura do requerente.


Colegiado da Polícia Rodoviária Federal- segunda instância
:

  • Requerimento com as razões do recurso;
  • Cópia da Notificação de Imposição da Penalidade (NIP);
  • Cópia do documento de identificação contendo assinatura do requerente;
  • Cópia do documento do veículo;
  • Cópia da Carteira Nacional de Habilitação ou Permissão;
  • Empresas devem apresentar cópia do contrato social com última alteração.

Onde Fazer?

O recurso em primeira instância deve ser enviado ou entregue no órgão de trânsito responsável pela autuação, conforme consta na Notificação de Imposição de Penalidade (NIP).
Na segunda instância, será encaminhado ou entregue no Conselho Estadual de Trânsito ou Colegiado da Polícia Rodoviária Federal, conforme o caso.

Atenção: A defesa da autuação não deve ser usada com o intuito protelatório. Requerimentos sem fundamento ou sem comprovação prejudicam aqueles que possuem razões para a defesa.

Tags : Multas

Deixe seu Comentário

avatar